INOVAÇÃO NA ADVOCACIA: DESMISTIFICANDO A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Você já ouviu falar sobre a Inteligência Artificial ou isso é um contexto distante que você quase não tem contato? Se você não sabe bem do que se trata ou pensa que essa é uma realidade muito distante de você, continue a ler este artigo.

No texto anterior, falamos sobre Automação na Advocacia e como ela pode gerar mais lucro para escritórios e departamentos  jurídicos. Agora, vamos fazer um panorama sobre inteligência artificial e como ela pode beneficiar profissionais de direito no cruzamento de informações.

O que é a Inteligência Artificial?

A Inteligência Artificial, conhecida pela sigla IA, é uma ciência que atua no desenvolvimento de inteligência cujos efeitos são semelhantes a uma atividade humana aplicadas em máquinas e softwares. Pode-se dizer que ela é responsável por criar máquinas inteligentes que percebem, raciocinam e resolvem problemas, desde que bem programadas.

A IA está há um tempo sendo estudada e desenvolvida. Foi em 1956 que John McCarthy, professor universitário e cientista estadunidense, criou o termo AI – artificial intelligence para esta ciência capaz de desenvolver máquinas com a capacidade de realizar operações programadas com muito mais rapidez que a inteligência humana e que oferecessem soluções para problemas que antes eram resolvidos apenas por pessoas.

Para fazer máquinas com inteligência, várias áreas da ciência da computação foram e são desenvolvidas, como Machine Learning, Deep Learning, Processamento de Linguagem e muitas outras. É a utilização de algoritmos matemáticos, além de desenvolvimento de processamento quântico e a cognição semântica que colaboram para interpretar mensagens, textos, imagens e fazer com que sistemas tenham raciocínios lógicos cujos efeitos são cada vez mais próximos de um raciocínio humano. Todas essas áreas de conhecimento juntas formam e desenvolvem a Inteligência Artificial.

Não precisamos entrar em detalhes sobre cada uma dessas áreas, mas vale uma breve explicação para base de conhecimento. Machine Learning se refere ao aprendizado das máquinas, que apresentam resultados por meio da combinação de informações de grandes massas de dados. Já o Deep Learning, aprendizagem profunda, vai além do padrão, criando máquinas inspiradas na capacidade de aprendizagem de um cérebro.

Acredite que, apesar da complexidade do assunto, a IA está próxima a nós e já faz parte das nossas rotinas.

A Inteligência Artificial está bem perto de você

Quando pensamos em Inteligência Artificial logo nos vêm à mente os filmes em que robôs se parecem com os humanos e fazem coisas espetaculares. Ficamos presos a esta ficção científica e acreditamos que a IA é para um futuro distante, mas nos enganamos. A IA não só está perto, como já é utilizada em nosso dia a dia.

Veja só: você tem um smartphone? Já experimentou dizer “Ok Google” e perguntar “Onde fica a farmácia mais próxima?”. Pois é, nos surpreendemos ao descobrir que nossos smartphones respondem a comandos de vozes e não imaginamos que ali está uma IA desenvolvida para facilitar nosso dia a dia. Também quando fazemos buscas no Google e antes de terminar de escrever nossa pesquisa, a ferramenta já oferece opções de palavras para buscar. Ainda no Google, quando realizamos uma pesquisa e a ferramenta nos entrega as melhores opções de artigos que já foram publicados sobre o que estamos procurando. Tudo isso é resultado do uso da Inteligência Artificial.

Muitos aplicativos que usamos também já utilizam a IA. Podemos citar o Waze que apresenta as melhores rotas para chegar a um destino a partir de um ponto de partida ou redes sociais como o Facebook que utiliza o reconhecimento de imagem para identificar as pessoas em uma determinada foto. Por meio de algoritmos, o Facebook também apresenta publicações que você tem mais interesse. Ele determina o seu interesse com base nos registros de sua interação com as publicações.

Podemos lembrar também de call centers automáticos que utilizam o reconhecimento de voz para processar o que falamos e nos direcionar para a solução do nosso problema.

A Inteligência Artificial está perto e é usada constantemente por todos nós. Pense em alguma tecnologia que você faz uso hoje e reflita se ela já faz uso da IA. Provavelmente sim! A abrangência e o crescimento desta ciência é exponencial e incontrolável.

O avanço da Inteligência Artificial

Essa tecnologia que é capaz de pensar e chegar a resultados incríveis avança desenvolvendo funções que antes eram realizadas apenas por humanos. Há quem diga que a IA deu início a quarta revolução industrial.

Com esse crescimento muitas dúvidas surgem, como por exemplo a questão de empregos e profissões. Será que algumas vagas de trabalho serão suspensas e trocadas por Sistemas de Inteligência Artificial?

Por mais avançado que esteja, a IA ainda não está próxima de realizar todas as funções de um cérebro humano. Uma das funções que ainda não é desenvolvida é a capacidade de criatividade que o homem tem. Com o tempo pode ser que esta e outras virtudes que ainda são apenas dos homens sejam conquistada pelos sistemas, mas ainda assim precisamos olhar para a IA como complemento das atividades humanas que vem suprir nossas necessidades. A verdade é que quanto mais a tecnologia avança, mais indispensável ela se torna para o nosso dia a dia.

Conheça o ELI ICMS

Inteligência Artificial na advocacia

A IA tem um futuro promissor e segue sendo desenvolvida para diversas áreas. Uma dessas áreas é a advocacia.
Só quem trabalha no setor jurídico sabe a rotina corrida que envolve leitura de leis, acompanhamento de processos e muitas outras atividades. Tudo é feito da melhor forma possível para oferecer um trabalho excelente para o cliente, porém é sempre uma corrida contra o tempo. Assim, podemos pensar como a IA pode ajudar nesta rotina, facilitando e otimizando este trabalho.

Hoje já existem sistemas de Inteligência Artificial dentro do setor jurídico que cruzam informações e realizam monitoramentos, colaborando para a conclusão de diversos processos. São sistemas que ajudam em atividades processuais e manuais, permitindo que os advogados apliquem mais tempo nas atividades intelectuais.

O que precisamos deixar claro é que a IA não vai substituir o advogado, muito menos é uma ameaça ao direito. Ela vem ao encontro das necessidades do setor jurídico, como complemento das atividades. É uma oportunidade para alcançar resultados mais rápido, gerar maior qualidade no serviço e principalmente obter lucratividade.

Com sistemas de IA em funcionamento, a praticidade otimiza a rotina e permite aplicar horas em atividades de maior importância. O que você acha que pode ser otimizado na rotina do seu escritório de advocacia? Será que já existe um sistema de Inteligência Artificial criado para isso? Pense nisso, ter um sistema assim é oferecer um diferencial para seus clientes e sair na frente com excelentes resultados.

Bom, agora você já sabe a diferença entre as duas áreas. No próximo post, faremos uma comparação entre Automação X Inteligência Artificial, como uma se interliga com a outra e os benefícios da aplicação ao direito.